12 comentários

Filosofia Pop #030 – Filosofia Africana: Ancestralidade


Murilo Ferraz, Marcos Carvalho Lopes e Adilbênia Machado recebem Eduardo Oliveira, professor da Universidade Federal da Bahia, graduado em filosofia (UFPR), especialista em culturas africanas e relações interétnicas na educação brasileira, mestre em antropologia social (UFPR), doutor em educação (UFC) para falar sobre Ancestralidade.

Catarse Filosofia Pop
No dia 2 de maio de 2016 o podcast Filosofia Pop completa 1 ano de existência! Para comemorar esta data, iniciamos um projeto no Catarse para transcrever os 25 episódios deste primeiro ano. Estamos pedindo o seu apoio neste projeto, que vai permitir o acesso do conteúdo produzido nos podcast às pessoas com deficiência auditiva, além de permitir a elaboração de outros materiais a partir do texto. Desde já agradecemos seu apoio.

Acesse o projeto no Catarse em: https://www.catarse.me/filosofiapop-transcricao

No dia 15 de julho encerraremos a campanha no Catarse. Em agradecimento aos ouvintes que apoiaram, sortearemos 3 exemplares do livro Entrevista Cadmeana: Um abecedário de Gilberto Mendonça Teles. Acesse o post no Filosofia Pop para maiores informações.

A ideia do podcast Filosofia Pop é trazer discussões filosóficas com pitadas de referências culturais.

Se você não conhece ainda a mídia podcast e tem dúvidas sobre como acompanhar o programa, veja este guia.

Vamos nos encontrar aqui a cada duas semanas para iniciar conversas filosóficas, sempre às segundas-feiras, e continuar o papo com vocês nos comentários e redes sociais.

Se você curtiu o episódio, deixe seu comentário. É muito importante termos o retorno dos nossos ouvintes.

Você pode também enviar um e-mail para contato@filosofiapop.com.br. Visite o site do Filosofia Pop.

Ajude a divulgar nosso trabalho curtindo nossa página no Facebook e avaliando nosso programa no iTunes.

Siga o Filosofia Pop no Twitter.

Com vocês, mais um episódio do podcast Filosofia Pop!


Sobre o Eduardo Oliveira

Eduardo Oliveira
Eduardo David de Oliveira é professor na Universidade Federal da Bahia, graduado em filosofia (UFPR), especialista em culturas africanas e relações interétnicas na educação brasileira, mestre em antropologia social (UFPR), doutor em educação (UFC). É autor de Cosmovisão africana no Brasil: elementos para uma filosofia da ancestralidade, Filosofia da Ancestralidade: corpo e mito na filosofia da educação brasileira, A Ancestralidade na Encruzilhada e o recente Xirê: a brincadeira lírica (um livro de mito poema).

Vídeo: Eduardo Oliveira Prof. Dr. da UFBA, Escritor

Lattes do Eduardo Oliveira


Comentados no episódio

1h25m00s – Indicações de livros, músicas e vídeos

Indicações do Eduardo:

Editora Ogum’s Toques
Filme: A Negra De…
Cia. de teatro Os Crespos
Grupo NATA de teatro
Livro: Diário de um retorno ao país natal – Aime Cesaire
Geledés
Criola
Wanderson Flor: Filosofia Africana
Mídia Ninja
Documentário: Jogo de corpo
Latitudes Latinas

Indicações da Adilbênia:

Ligro: Encontros com o griot – Sotigui Kouyaté
Documentário: Sotigui Kouyaté: um griot no Brasil
Livro: A Galinha d’angola, Iniciação e Identidade na Cultura Afro-Brasileira
Afroflix
Música: Rapadura XC

Indicações do Marcos

Livro de poesia: Gramática da ira – Nelson Maca
Livro: Religiosidade Brasileira e a Filosofia
Livros: Sons da Bahia
Livro: Um mundo iluminado – Hubert Dreyfus e Sean Dorrance Kelly
Música: Brasileirinho – Maria Bethânia

Murilo Ferraz

Graduado em Ciência(s) da Computação, fotógrafo amador e agora podcaster

  • Que episódio excelente, deu vontade de ouvir repetidas vezes.
    Obrigado!

    • Obrigado, @ivansp:disqus. Que bom que curtiu 😀

    • Lembrei de pedir uma coisa.
      Vocês poderiam fazer algum episódio sobre semiótica e analise de discurso?
      Isto tem a ver com filosofia, não?
      Estes dias estive pensando em como discursos aparentemente coerentes e corretos transmitem desconfortos pois percebemos que, de alguma forma, ele está nos induzindo a erro, mas não percebemos como.
      Então considerei que poderia haver algum nível da tríade semiótica que estivesse em conflito no discurso, quem sabe não fosse essa a habilidade que Saruman usava para ter seu discurso tão poderoso.
      Fora dessa questão literária, tem muitos políticos, jornalistas, apresentadores, e até podcaster, que parecem usar essa característica.
      São falas que parecem falaciosas, geralmente com muito senso comum, mas que, ao fim, parecem não fechar e mesmo assim não há um ponto chave de quebra da lógica, ao menos não algo que minha capacidade perceba.
      Fiquei curioso em saber mais sobre isto, se tiverem oportunidade de abordar o tema em breve fico grato
      🙂

      • Bem interessante a sugestão. Já faz um tempo que eu quero fazer um episódio sobre lógica e também queremos fazer sobre conhecimento. O que mais toca a semiótica talvez seja filosofia da linguagem, que também temos interesse em abordar. Com o tempo vamos colocando esses assuntos na roda…

      • Já estou esperando ansioso.
        😉

      • O Não Obstante que saiu hoje tá muito interessante e fala muito sobre discurso. http://filosofiadodesign.com/nao-obstante-19-os-sofistas-e-o-pensamento-antigo/

      • Eu ouvi, e estava ótimo.
        Mas não adianta me dar aperitivo, só vai me deixar mais ansioso pelo episódio de vocês.
        🙂

  • Juliana Fajardini

    E quem quiser colaborar com a transcrição, como faz?

    • Olá, @julianafajardini:disqus . Estamos com uma campanha no Catarse para fazermos a transcrição dos episódios do primeiro ano.

      A campanha não deve cobrir tudo, estamos estudando a possibilidade de pedir a colaboração dos ouvintes na transcrição do restante.

      • Juliana Fajardini

        Sim, eu vi, que seja bem sucedida! Em todo caso, vou aguardar pra ver se rola essa chamada para ouvintes. (:

      • Bom saber que tem ouvinte interessada na transcrição! 😀

        A campanha deve cobrir a transcrição de uns 6 episódios e vamos encomendar pelo menos 12 para o livro que o Marcos está planejando.

        Para as demais, devemos contar com a colaboração dos ouvintes. Nosso receio é de não haver engajamento nessa tarefa. Só de saber que tem gente interessada já nos anima.

      • Juliana Fajardini

        Avante! Contribuir para boas causas é legal e importante…